A semana das almas

diade
Dia de Todos os Santos:
novembro 1, 2016
vir
As virtudes teologais para o cristão
novembro 18, 2016

A semana das almas

almas

Em 1967, o Papa Paulo VI publicou a Constituição Apostólica sobre a “Doutrina das Indulgências” (DI). Junto foi publicado o “Manual das Indulgências”, aprovado pela Santa Sé e publicado em português pela CNBB (Edições Paulinas, 1990). Neste Manual estão as obras e orações indulgenciadas. O que são as Indulgências? Explica o Papa Paulo VI:

“A doutrina e o uso das indulgências vigentes na Igreja Católica há vários séculos encontram sólido apoio na Revelação divina, a qual vindo dos Apóstolos “se desenvolve na Igreja sob a assistência do Espírito Santo”, enquanto “a Igreja no decorrer dos séculos, tende para a plenitude da verdade divina, até que se cumpram nela as palavras de Deus (Dei Verbum, 8)”. ( DI, 1)

“Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados [que a alma cumpre no Purgatório para sua santificação] já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos”. (Norma 1)

O número 13 das “Normas das Indulgências”, apresenta a maneira de se obter indulgências plenárias para as almas do purgatório, quando se visita o cemitério. A Norma diz:

“Ao fiel que visitar devotamente um cemitério e rezar, mesmo em espírito, pelos defuntos, concede-se indulgência aplicável somente às almas do purgatório. Esta indulgência será plenária, cada dia, de 1 a 8 de novembro; nos outros dias do ano será parcial”.

Esta semana, de 1 a 8 de novembro, é a Semana das Almas, em que se pode ganhar para elas a Indulgência plenária. Além da visita ao cemitério, e a oração pela alma do falecido, é necessário que se faça o seguinte: que o fiel faça a Confissão individual rejeitando todos os pecados (basta uma Confissão para várias indulgências), participe da santa Missa e da Comunhão, e reze pelo Papa ao menos um Pai-nosso e uma Ave-Maria.

Prof. Felipe Aquino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *